O 1º Tenente Cândido, veterano da Segunda Guerra Mundial e atualmente com noventa e quatro anos de idade, prestigiou o evento, emocionando a todos com seu entusiasmo e vibração. A solenidade foi realizada na Praça Presidente Médici, no Forte Barão do Rio Branco, contando com a presença de inúmeras autoridades civis e militares, entre antigos membros do Alto Comando do Exército, antigos comandantes da Unidade, ex-integrantes de Unidades extintas, representação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, alunos da Escola de Sargentos das Armas e alunos da Bateria de Artilharia do Colégio Militar do Rio de Janeiro.

 

 

 

 


Nesta terça-feira, 18 de abril, no bojo das comemorações do 281º aniversário de criação do 21º Grupo de Artilharia de Campanha – Grupo Monte Bastione foi conduzida uma solenidade militar e uma exposição de material bélico e histórico militar.

A solenidade foi realizada na Praça Presidente Médici, no Forte Barão do Rio Branco, contando com a presença de inúmeras autoridades civis e militares, entre antigos membros do Alto Comando do Exército, antigos comandantes da Unidade, ex-integrantes de Unidades extintas, representação de cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras, alunos da Escola de Sargentos das Armas e alunos da Bateria de Artilharia do Colégio Militar do Rio de Janeiro.

O 1º Tenente Cândido, veterano da Segunda Guerra Mundial e atualmente com noventa e quatro anos de idade, prestigiou o evento, emocionando a todos com seu entusiasmo e vibração.

Foi realizada, inicialmente, uma homenagem ao Tenente Coronel Mario Raphael Vanutelli, que veio a falecer no último dia 5 de Abril de 2017. O então 2º Ten Vanutelli integrou o IIº Grupo do 1º Regimento de Obuses Autorrebocado (hoje 21º GAC) por ocasião da 2ª Guerra Mundial. O TC Vanutelli era um antigo integrante dos mais entusiasmados com o Grupo e prestigiou inúmeras atividades da Unidade. Ao seu funeral, realizado em Brasília com todas honras que um herói de Guerra mereceu, a OM enviou uma representação e entregou a família a insígnia da subunidade em que ele lutara na Guerra.

Em seguida foi cantada a Canção do 21º GAC, letra do Tenente Josué Morais de Oliveira e música do Tenente Argentino Siqueira.

O Grupo teve em seus quadros inúmeros heróis da arma de Artilharia e do País, vultos como o Brigadeiro Alpoim, Floriano Peixoto, Deodoro da Fonseca, Villagran Cabrita, Rondon, Bittencourt, Hermes da Fonseca, Da Camino, Salomão da Rocha, Miguel de Frias.

Neste ano o 21º GAC homenageou o Marechal Trompowski. O patrono do Magistério Militar assentou praça no 1º Batalhão de Artilharia a Pé (atual 21º GAC) em 1869, há exatos 148 anos, tendo galgado todos os degraus da vida militar, destacou-se por transformar profundamente a educação na Força e por ombrear Rui Barbosa na Conferência de Haia de 1907.

Em sua homenagem foi realizado um concurso Histórico Cultural e seu busto, guarnecido por cadetes da AMAN e alunos da EsSA, recebeu uma corbelha de flores. O 2º Tenente Art Simões, da Divisão de Segurança e Manutenção, venceu o concurso, tendo sido foi premiado na solenidade. Uma cópia de seu trabalho foi distribuída aos convidados durante o coquetel.

Houve a entrega do Troféu Brigadeiro Alpoim. troféu que leva o nome do primeiro subcomandante do Grupo, O Grupo anualmente concede à SU que apresentou os melhores resultados nos quesitos disciplina, auto aperfeiçoamento, zelo, rusticidade e preparo físico um prêmio. Trata-se do Troféu Brigadeiro Alpoim, criado em homenagem ao primeiro subcomandante do Grupo, autor do primeiro Manual de Artilharia do Brasil, veterano de guerra no Cone Sul e pai de obras como o Arco do Teles e o Museu Histórico Nacional.

 Este ano coube à Divisão de Segurança e Manutenção a honrosa distinção, tendo seu comandante, o Capitão Coelho recebido o troféu do Exmo General de Exército Licínio, ex-comandante do 21º GAC mais antigo presente à solenidade.

Ao término de suas palavras, o Comandante da Unidade mencionou que o 21º GAC tem muitos feitos em sua história e ali passaram inúmeros heróis, três Presidentes da República e quatro Patronos. Assim, o que de melhor o quartel possui são seus integrantes e eles deveriam continuar mantendo o alto padrão que vêm apresentando em todas as atividades, como por exemplo, o sucesso absoluto nas dezessete operações conduzidas ao longo de 2016 e 2017.

Ao brado de “Bastione!”, a tropa respondeu “Artilharia! Brasil!”, ouvindo-se a seguir um tiro de salva disparado pela peça Monte Bastione.

Em seguida, houve o tradicional desfile dos antigos integrantes do 21º GAC e de unidades que não estão mais na região, como o 8º Grupo de Artilharia de Costa Motorizado, 3º Batalhão de Infantaria, 19º Batalhão Logístico, Companhia de Comando da 2ª Brigada de Infantaria Motorizada, 22º Pelotão de Polícia do Exército, Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva - São Gonçalo e demais unidades militares que antecederam ou ocuparam o Complexo de Fortes e demais aquartelamentos de Niterói, São Gonçalo e São Cristóvão.

O desfile da tropa contou primeiro com um Grupamento à Pé, composto de banda de música da AD/1, Estado-Maior, Guarda Bandeira e Estandarte Histórico com trajes históricos da 2ª GM, Bateria Comando, 1ª Bateria de Obuses, 2ª Bateria de Obuses, Divisão de Segurança e Manutenção e o Pelotão de Operações Especiais com uniforme e equipamento de emprego em Operações de Garantia da Lei e da Ordem.

Por fim, foi apresentada à assistência o novo Sistema de Pontaria, Observação e Topografia AGLS Artillery Gun-laying System, conduzido em uma Viatura Utilitária Militar Agrale Marruá AM21 de ¾ Tonelada. Dotado de Obuseiros de 155 mm M114, o 21º GAC, operando com o novíssimo AGLS, amplia consideravelmente sua eficiência operacional.

Posteriormente, houve uma apresentação da Banda de Gaita de Fole Brazilian Piper e os convidados puderam apreciar uma exposição com as Viaturas Históricas da Unidade, o Sistema AGLS, acervo histórico do Museu da Casa da FEB e livros da Biblioteca do Exército (BIBLIEX).

 

 Artigo relacionado:

Os 281 anos do Grupo Monte Bastione

 

 


 

Joomlashack