O último a se despedir foi o Tenente Coronel Marcelo, o Subcomandante. Como disse o Coronel Cyrillo em seu elogio, se deveu a ele, Subcomandante, a aproximação do Comando com a Associação e o Conselho Nacional. Após ouvirmos as palavras tanto do Comandante como do Sub, Os Tenentes Rogério e Tadeu pediram a palavras e ofereceram, no que foram aplaudidos por todos, a camisa do time do coração do TC Marcelo.

 

 

 


 

O leitor não acostumado às coisas castrenses pode não saber que é uma praxe, a apresentação dos militares que chegam em qualquer Unidade.

Se são apresentados aqueles que chegam e nem conhecidos são, com muito mais razão, quando se despedem, depois de anos de convívio e bom trabalho, fazemos uma reunião para as despedidas.

Numa sexta-feira, dia 12 de Janeiro, foi o que aconteceu no Recanto Tenente Vaz (a churrasqueira) do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro.

Cinco militares, dois Sargentos e três Oficiais estavam se despedindo, a maioria voltando para a Brigada Paraquedista.

Dentre eles, destacamos dois por motivos diversos: o primeiro, o Major Rodrigues, pela animação e entusiasmo. Está seguindo para o Centro de Instrução Penha Brasil, para formar mais paraquedistas para o Brasil. Ele, oriundo dos Paraquedistas, em um salto, quebrou as duas pernas na aterragem e, recuperado foi o Chefe da Divisão de Ensino até o ano que findou.

Após o elogio e as palavras do Coronel Cyrillo, Comandante, do CPOR/RJ, pediu a palavra e fez o que os paraquedistas gostam de fazer. Colocou todos a “pagarem 10”.

O último a se despedir foi o Tenente Coronel Marcelo, o Subcomandante.

Como disse o Coronel Cyrillo em seu elogio, se deveu a ele, Subcomandante, a aproximação do Comando com a Associação e o Conselho Nacional.

Após ouvirmos as palavras tanto do Comandante como do Sub, Os Tenentes Rogério e Tadeu pediram a palavras e ofereceram, no que foram aplaudidos por todos, a camisa do time do coração do TC Marcelo.

 

 

Ontem, dia 12, estive presente à despedida do TC Marcelo, SCmt do CPOR/RJ, movimentado para o IME. No ensejo, torno público o meu agradecimento ao chefe e amigo que foi incansável no apoio e incentivo às atividades da AORE/RJ e do CNOR. Militar da melhor estirpe e cidadão exemplar, o TC Marcelo haverá de receber do Senhor dos Exércitos o amparo e a proteção que merece. Desejo ao chefe e amigo muitas felicidades e vitórias em sua vida pessoal e profissional.

Ten Monteiro, antigo Presidente do CNOR

 


 

Joomlashack