Todos os anos, nós Oficiais da Reserva do Exército, no Rio de Janeiro, a AORE/RJ, em todo o Brasil, as 30 AORE’s filiadas ao CNOR do qual este soldado é Diretor de Armamento e Tiro (fui Vice Presidente na gestão anterior), colocamos nossas medalhas no peito e vamos aos Quartéis render nossa homenagem. No Rio, como em todas as Guarnições, em todas as Organizações Militares o dia é cultuado, mas nas capitais, a festa mais concorrida é a dos Quartéis Generais. E aqui, a maior Pompa & Circunstância ocorre no Palácio Duque de Caxias e lá fomos nós, eu, Mergulhinha (como chamam minha esposa) e uma representação da AORE/RJ com um colega da AORE/AL (Maceió).

 

 

 

 


 

Em 19 de abril de 1648, ou seja, há exatos 370 anos, brasileiros e luso-brasileiros lutaram na segunda Batalha dos Guararapes contra os holandeses da Companhia das Indias Ocidentais.

Naquela Batalha, ocorrida em Jaboatão dos Guararapes, no Estado de Pernambuco, nascia o Exército Brasileiro.

O povo pernambucano, o bravo povo pernambucano, tem em sua história a identidade do nosso Exército, forjado com sangue daqueles que lutaram pela liberdade em terras pernambucanas.

Todos os anos, nós Oficiais da Reserva do Exército, no Rio de Janeiro, a AORE/RJ, em todo o Brasil, as 30 AORE’s filiadas ao CNOR do qual este soldado é Diretor de Armamento e Tiro (fui Vice Presidente na gestão anterior), colocamos nossas medalhas no peito e vamos aos Quartéis render nossa homenagem.

No Rio, como em todas as Guarnições, em todas as Organizações Militares o dia é cultuado, mas nas capitais, a festa mais concorrida é a dos Quartéis Generais.

E aqui, a maior Pompa & Circunstância ocorre no Palácio Duque de Caxias e lá fomos nós, eu, Mergulhinha (como chamam minha esposa) e uma representação da AORE/RJ com um colega da AORE/AL (Maceió).

Neste dia, uma brilhante quinta-feira ensolarada de outono, muitas personalidades foram agraciadas ou com o Diploma de Colador Emérito, ou com a nova Medalha do Exército e ainda, com a mais alta condecoração do Exército, a Ordem do Mérito Militar.

Eu, graças a Deus, tenho este privilégio, de levar no peito a minha Ordem do Mérito Militar, a de menor grau (acho que Cavaleiro), indicação do grande General de Exército Paulo Cesar de Castro e paraninfo o também grande General de Exército Rui Alves Catão.  

E, neste dia abençoado de 2018, vi três amigos serem agraciados:

- O Tenente R/2 de Intendência PINHO, com a Medalha do Exército;

- A Márcia Melchior, criadora da Orquestra Violões do Forte (de Copacabana) também com a Medalha de Exército; e

- O Tenente R/2 de Artilharia DAQUER (Desembargador Egas Muniz Barreto de Aragão Dáquer) com a Ordem do Mérito Militar em Grau de Comendador!

 

 EXÉRCITO BRASILEIRO: BRAÇO FORTE, MÃO AMIGA

 


 


Joomlashack