A cerimônia de inauguração do retrato foi precedida da inauguração no Gabinete de um belíssimo quadro do famosíssimo coronel Pedro Paulo Cantalice Estigarríbia, conhecido pelos quadros sobre história militar como os que enfeitam o magnífico salão de entrada do Quartel General do Exército em Brasília, o Forte Caxias.

 

 


 

Numa terça-feira chuvosa, 7 de agosto, tivemos no Rio de Janeiro dois grandes eventos militares, a aniversário da 1ª DE, comandada pelo General Barros e a passagem de direção da DESMIL, onde dois bons amigos, antigos colegas do Curso Básico da AMAN trocavam de lugar.

Claro que eu e uma delegação do CNOR e da AORE/RJ, esta com sede no Centro de Preparação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro, fomos na DESMIL.

Primeiro por ser a Unidade enquadrante do CPOR onde nos formamos e também por que os dois grandes Chefes Militares, o General Novaes, que saía e o General Leonel que chegava, são também dois bons amigos da Oficialidade R/2 e em particular deste Editor.

A DESMIL, nome atual da Diretoria de Ensino Superior Militar, antiga DFA – Diretoria de Formação e Aperfeiçoamento e que antes de nossa formação (eu sou Aspirante de 1965) teve ainda os nomes de Diretoria de Ensino e Formação e até 1952, Diretoria de Instrução, é um celeiro de Chefes importantes, Presidentes da República, Ministros e Comandantes do Exército, isso sem contar que muitos terminaram chefiando o próprio DECEX que integra.

 

Além de um privilégio e uma honra, uma senhora responsabilidade.

O Chefe substituído, General de Divisão André Luis Novaes Miranda conheci quando comandou o BRABATT (como eram conhecidos os Batalhões Brasileiros no Haiti) como Coronel, nos anos brabos do início da MINUSTAH onde tiveram de abrir caminho a ferro e fogo com o também famoso General Augusto Heleno que depois passou ao Force Commander seguinte, um Haiti já pacificado.

Muitos conhecem a carreira gloriosa do General Novaes quando assumiu o Comando da 17ª Brigada de Infantaria de Selva em Rondônia onde foi na ocasião homenageado pela Seção Judiciária de Rondônia da Justiça Federal em 15 de abril de 2015.

De abril de 2015 a abril de 2017, o General Novaes comandou a AMAN – ACADEMIA MILITAR DAS AGULHAS NEGRAS, por onde havia passado o General Arruda (2011-2013).

Por coincidência, eu estava aqui quando em 2017 recebeu a DESMIL justamente das mãos do amigo General Arruda – Leia mais em:

Passagem de Direção na DESMil - 2017

 

 

Mas, como sempre digo, muitos falam de seus feitos no Generalato e pouco ouço da magnífico trabalho quando voltou do Haiti e com sua experiência nos combates de lá, criou os primeiros manuais quando estava no Comando do 57º BI Mtz (Escola) REI que deram origem ao CIOpPaz hoje CCOPAB.

Como conseqüência do compromisso internacional assumido relativo à Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti (MINUSTAH), o CI Op Paz iniciou suas atividades com a incumbência de conduzir o preparo da então Brigada Haiti, 3º Contingente, integrada pelo GUEs - 9ª Bda Inf Mtz, instalando-se provisoriamente no aquartelamento do 57º BI Mtz (Es) / REI, a unidade base do Batalhão Haiti comandado pelo então Coronel Novaes.

Dessa forma, após a criação do CI Op Paz, os contingentes, a partir do terceiro, inclusive, passaram a preparar-se e a serem empregados sob a luz do Cap. 7 da carta das Nações Unidas, coerente com o mandato da MINUSTAH, produzindo significativas modificações no comportamento das tropas no terreno.

Em 15 de junho de 2010, a portaria nº 952-MD, de mesma data, designa o Centro de Instrução de Operações de Paz (CIOpPaz), do Exército Brasileiro para a preparação de militares e civis brasileiros e de nações amigas a serem enviados em missões de paz e alterou a sua denominação, para Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB).

Agora o amigo segue para SP para Comandar a poderosa 2ª DE, deixando em seu lugar o General de Divisão João batista Bezerra Leonel Filho.

Eu também estava presente quando ele assumiu o Comando da Artilharia Divisionária da 1ª DE, a AD/1 das mãos do General Faillace.

AD/1 tem novo Comandante

 

Comandando a AD/1, tratou diretamente com o meu bom amigo Cel Lima (Luciano Batista de Lima) que na ocasião comandava o histórico 21 GAC – Grupo Monte Bastione no aquartelamento do Forte Barão do Rio Branco onde servi de 1965 a 1970 nas extinta Artilharia de Costa (1ª/1º GACosM) e, por essas linhas do destino escritas pelo Senhor dos Exércitos, ambos, Cel Lima e Gen Leonel, foram servir em Washington o primeiro chefiando o CEBW e o General como Adido.

A cerimônia de inauguração do retrato foi precedida da inauguração no Gabinete de um belíssimo quadro do famosíssimo coronel Pedro Paulo Cantalice Estigarríbia, conhecido pelos quadros sobre história militar como os que enfeitam o magnífico salão de entrada do Quartel General do Exército em Brasília, o Forte Caxias.

E, graças a inauguração deste quadro, pude então conhecer pessoalmente o famoso Coronel.

Depois, como manda o protocolo, o General Leonel pediu autorização ao General Cid, Chefe do DECEx e falou do privilégio e da honra de suceder o amigo na DESMIL e convidou o Chefe imediato para descerrar o retrato, honra que o General Cid passou a esposa do General Novaes que assim, integra aquela famosa galeria.

Depois das trocas de lembranças protocolares fomos para o Salão Nobre para a passagem do cargo propriamente dita.

 


Veja também na
Revista Operacional 

 

 


 

Joomlashack