Em 21 de abril de 1927, o então Capitão de Artilharia Luiz de Araújo Correia Lima conseguia uma vitória em sua luta de muitos anos: a criação do CPOR no Rio de Janeiro. Mas não foi apenas os 91 anos do CPOR/RJ a comemoração naquele Quartel em Bonsucesso: o CNOR comemorava 21 anos de criação e a AORE/RJ, 26 anos. Todos em abril, mês também de aniversário (19) do nosso Exército Brasileiro.

 

 

 


 

 
Chegada do General Ikeda (DPHCEx)

Em 21 de abril de 1927, o então Capitão de Artilharia Luiz de Araújo Correia Lima conseguia uma vitória em sua luta de muitos anos: a criação do CPOR no Rio de Janeiro.


Busto de Correia Lima guarnecido pela AORE/RJ

E numa terça-feira ensolarada de outono, 17 de abril, o Centro Tenente Coronel Correia Lima se engalanou para comemorar os 91 anos deste famoso Estabelecimento de Ensino Militar.


AQUI SE FORJA A RESERVA ATENTA E FORTE


Chegada das autoridades

Essa célebre data foi comemorada em 17 de abril, com uma grande solenidade, quando foram feitas alusões aos feitos do seu fundador, patrono e guia: Tenente-Coronel Correia Lima. Além disso, também foram celebrados os 26 anos de fundação da Associação de Oficiais da Reserva do Rio de Janeiro (AORE/RJ) e os 21 anos do Conselho Nacional de Oficiais da Reserva (CNOR).

Honras Militares prestadas ao General Ikeda

Colocação de flores no busto de Correia Lima

Uma tropa composta por ex-alunos e oficiais temporários da reserva e da ativa formados no Estabelecimento de Ensino desfilaram com o grupamento de alunos do Curso de Formação de Oficiais da Reserva de 2018. Após a formatura, o CPOR/RJ foi agraciado com uma apresentação cães do 1º Batalhão de Polícia do Exército e uma demonstração hipo do Regimento Andrade Neves, hoje muito empregado nos GLO desta cidade.

Diversas organizações militares da 9ª Bda Inf Mtz apoiaram o evento, expondo seus modernos materiais e equipamentos de emprego militar das Armas, Quadros e Serviços.


Entrega do Diploma de Amigo do CPOR/RJ ao Comandante do DCMun


Entrega do Diploma de Amigo do CPOR/RJ  ao Ten Denis, VP da AORE/RJ

A cerimônia contou com a presença do Gen Div Riyuzo Ikeda, DPHCEx representando o Diretor de Ensino Superior Militar,  acompanhado do Tenente Coronel de Artilharia Sandro Gomes, Comandante do CPOR/RJ, de Comandantes de organizações militares da Guarnição do Rio de Janeiro; de autoridades civis; de ex-alunos; e de crianças e adolescentes do Programa Forças no Esporte (ProFEs).


Entrega do Diploma de Amigo do CPOR/RJ  ao Ten Tadeu


Palavras do Comandante

O evento foi uma ótima oportunidade de integração de gerações entre os oficiais R/2 de ontem e de hoje, e destes com os alunos recém-incorporados às fileiras do Exército. Além de oportunizar ao novo Diretor de Patrimônio Histórico e Cultural do Exército, Gen Div Ikeda, que comandou o CPOR do Recife, conhecer nossas instalações, nossos militares e o material e as diversas organizações militares que nos apoiam constantemente.


Palavras do Comandante, Ten Cel Sandro Gomes


Cap Juliano da PE, filho do Cel Juliano antigo Comandante deste CPOR/RJ

Ao longo de seus 91 anos de existência, o Centro Tenente-Coronel Correia Lima continua trabalhando incansavelmente na formação dos oficiais combatentes temporários e, por intermédio deles, na difusão dos valores de nossa Instituição no âmbito da sociedade.


Palavras do General Ikeda

 

 

A solenidade ocorreu nas sombras dos jardins de entrada diante do Pavilhão de Comando, mais fresco que o pátio Major Apollo Rezk que recebe o sol do amanhecer.

 

 

Tivemos colocação de flores no busto de nosso patrono e guia, Correia Lima, entrega de Diplomas de Amigo do CPOR/RJ a Comandantes de OM e personalidades, as palavras do TC Sandro Gomes, Comandante do CPOR/RJ e também do General Ikeda que lembrou seus tempos de Comandante do CPOR/Recife.

 

 E terminou com um desfile da tropa e dos Oficiais R/2 de todos os tempos em continência ao General Ikeda, Diretor de Patrimônio Histórico e Cultural do Exército. 

 

 

Os CPOR nasceram por inspiração do então Capitão Correia Lima, para suprir o Exército de oficiais subalternos. Ele observou que, após a Primeira Guerra Mundial, havia uma grande carência nos quadros de oficiais dessa patente.

As ideias de Correia Lima levaram à criação do primeiro CPOR, no Rio de Janeiro em 1927, o qual começou a funcionar em 1928. Como o resultado alcançado foi considerado altamente positivo, o então Ministro da Guerra autorizou o a abertura de outros centros semelhantes em São Paulo e Porto Alegre. Mais tarde, novos centros foram abertos em outras cidades brasileiras. Hoje temos 5 CPOR em funcionamento e mais de 60 NPOR. 

E, dois dias depois...

 

CPOR/RJ: Formatura do Dia do Exército - entrega de medalhas e promoção de praça. 

 

 

 

 


 

Joomlashack