O Major Apollo Miguel Rezk não é apenas mais um destaque nacional, é nada menos que o MAIOR HERÓI BRASILEIRO DA 2a GUERRA MUNDIAL. Foi condecorado com as quatro medalhas de guerra brasileiras, além das medalhas americanas Estrela de Prata e a Cruz dos Serviços Notáveis, esta última, uma das maiores condecorações por BRAVURA do governo dos Estados Unidos até hoje. Ele foi o ÚNICO não-norte-americano a receber tal honraria na Campanha da Itália, na 2aGM.

 


 

 

O Major Apollo Miguel Rezk não é apenas mais um destaque nacional, é nada menos que o MAIOR HERÓI BRASILEIRO DA 2a GUERRA MUNDIAL. Foi condecorado com as quatro medalhas de guerra brasileiras, além das medalhas americanas Estrela de Prata e a Cruz dos Serviços Notáveis, esta última, uma das maiores condecorações por BRAVURA do governo dos Estados Unidos até hoje. Ele foi o ÚNICO não-norte-americano a receber tal honraria na Campanha da Itália, na 2aGM.

Um Oficial R2. Aspirante da Turma de 1939 do CPOR/RJ que, já como Economista formado e 1° Tenente, foi convocado para ir ao Teatro de Operações da 2a Guerra Mundial junto com outros 432 Of R2, que se incluíam nos 1070 Tenentes e Aspirantes no total.

Dos 1070 oficiais subalternos da FEB, 433 eram R/2. Quase a metade. Dos doze oficiais combatentes tombados no cumprimento do dever, meia dúzia eram da reserva. Exatamente a metade.

A história de Apollo Rezk é motivo de palestras pelo CNOR há décadas. Um herói esquecido.

 

Morreu já cego, no posto de Major, e bastante debilitado em 1999, quando os EUA mandaram um representante do governo americano para o seu funeral, um Oficial Superior fardado, que falou as seguintes palavras:
-Eu não entendo vocês brasileiros. Na minha terra, alguém com as importantes condecorações de guerra do major Apollo, teria recebido, ao longo de sua vida, as homenagens, o respeito e a gratidão do seu povo.

O exemplo de Apollo Rezk (e tantos outros) nos mostra:
- A importância dos CPOR/NPOR no Brasil, assim como os ROTC nos EUA;
- A capacidade, qualidade, competência e comprometimento de homens em se superar no cumprimento da missão, mesmo sem uma formação de carreira para a profissão das armas;
- A prova de que os Of R2 não são melhores nem piores, são na realidade grandes e fundamentais combatentes e parceiros, seja no teatro de operações da guerra, seja no cotidiano da sociedade, onde surgem como destacados líderes em todas as áreas do conhecimento ou ramo profissional. Não deixam nada a dever e elevam o nome do Exército Brasileiro por onde passam.

A medalha mais importante do Sistema CNOR, até hoje entregue a pouquíssimas, distintas e relevantes autoridades/personalidades, leva o nome do nosso herói. Levam também seu nome: um rico museu mantido e organizado pela AORE/RJ, o Ginásio do CPOR do Recife e um mirante no Campo de Instrução de Gericinó. Três oficias R2 das nossas Associações publicaram dois livros sobre sua vida e atuação em combate.

Nesta data em que o Maj Apollo completaria 101 anos de idade, cumprimos um dever de justiça ao instituir, pela Portaria CNOR n° 001.2019, de 7/2/19, o dia 9 DE FEVEREIRO como a DATA MAGNA DO CONSELHO NACIONAL DE OFICIAIS DA RESERVA.


Lançamento do livro na inauguração do Mirante Major Apollo no Campo de Instrução de Gericinó

Eis um grande exemplo, legado e inspiração:
Apollo Rezk - O brasileiro mais condecorado da FEB, e expressão máxima dos Oficiais R/2 do Exército Brasileiro.

Um herói do Brasil!

1º Ten R2 Rogério Vasconcelos Jr
Presidente do CNOR

Recife/PE, 9 de fevereiro de 2019

 

 


 

Joomlashack