Das muitas tradições mantidas pela histórica Organização Militar que hoje ostenta a denominação de 21 Grupo de Artilharia de Campanha e nome histórico de Grupo Monte Bastione, duas são sempre lembradas há décadas. Os Náufragos dos torpedeamentos alemães aos navios Baependy e Itagiba, afundados na costa brasileira, e o Primeiro Tiro de Artilharia da Força Expedicionária Brasileira na Itália, a primeira granada brasileira que singrou os céus europeus. Este ano, o Tenente Coronel Batouli, Comandante do Grupo, resolveu juntar os dois grandes acontecimentos.

 

 


Das muitas tradições mantidas pela histórica Organização Militar que hoje ostenta a denominação de 21 Grupo de Artilharia de Campanha e nome histórico de Grupo Monte Bastione, duas são sempre lembradas há décadas.

Os Náufragos dos torpedeamentos alemães aos navios Baependy e Itagiba, afundados na costa brasileira, e o Primeiro Tiro de Artilharia da Força Expedicionária Brasileira na Itália, a primeira granada brasileira que singrou os céus europeus.

Este ano, o Tenente Coronel Batouli, Comandante do Grupo, resolveu juntar os dois grandes acontecimentos.

O evento foi muito prestigiado por autoridades civis e militares onde observamos da Reserva, os seguintes Oficiais Generais: Gen Ex NEI da Silva Oliveira, Gen Ex LICÍNIO Nunes de Miranda Filho, Gen Ex Carlos Alberto PINTO SILVA, Gen Div ANÁPIO Gomes Filho, Gen Bda João Cesar ZAMBÃO e Gen Bda Walter Nilton Pina STOFFEL.

E da Ativa, o General de Divisão Décio dos Santos BRASIL, Vice-Chefe do DECEX, mais antigo presente que recebeu as Honras Militares, Gen LAERTE de Souza Santos, Comandante da 1ª RM, General de Divisão Mauro SINOTT Lopes, Comandante da 1ª DE, Gen Bda Flavio Marcus LANCIA Barbosa, Diretor de Ensino Preparatório e Assistencial, Gen Bda Adilson Carlos KATIBE,  Comandante da AD/1 e Gen Bda Amadeu Martins MARTO, 4º SubCh do COTER, estes dois últimos, antigos Comandantes do 21 GAC.

O dia podia ser chamado de maravilhoso e nas belas praias do aquartelamento, num céu sem nuvens, havia quase que um sol para cada um de nós.

Na Praça onde ficam os monumentos tanto aos Náufragos como ao Grupo que foi à Itália, palanques montados aguardavam as autoridades quando o Capitão Luiz Eugenio SERRA anunciou:

- Senhoras e Senhores: Dentro de Instantes daremos início à formatura em homenagem aos Náufragos dos navios Baependi e Itagiba e em homenagem ao Primeiro Tiro de Artilharia da Força Expedicionária Brasileira em solo italiano, na Segunda Guerra Mundial.

Na hora marcada, os Chefes Militares já mencionados saíram do PC do Comando e se dirigiram ao local da solenidade acompanhados do Tenente Coronel Frederico Otávio Sawaf BATOULI, Comandante do 21º Grupo de Artilharia de campanha – Grupo Monte Bastione.

E tão logo se instalaram no palanque, foram prestadas as Honras Militares ao General Brasil, militar da ativa mais antigo presente.

E o Capitão SERRA informou:

- Encontram-se presentes nesta formatura, ex-combatentes da Força Expedicionária Brasileira, criada por ocasião da Segunda Guerra Mundial e o Exército Brasileiro presta nesta ocasião a merecida homenagem àqueles que com sacrifício, bravura e glória, souberam defender a honra da Pátria e os ideais de Liberdade e Democracia.

- Serão dados os toques de sentido, ombro arma, apresentar arma e de Presença de Ex-combatente.

Após o toque de Presença de Ex-combatentes, aos Pracinhas, Ten Jose Candido da Silva e Ten Reinaldo Pontarole, a tropa entoou a belíssima Canção do Expedicionário, letra de Guilherme de Almeida e música de Spartaco Rossi.

Depois foi depositada uma corbelha de flores junto ao Monumento em Homenagem aos Náufragos dos navios Baependy e Itagiba. O Comandante do Grupo convidou as autoridades militares presentes junto com a Senhora Marilda Ramanauskas -filha do Ten Dálvaro; senhora Luiz Mallet-filha do Tenente Dálvaro; Senhora Paula Ramanauskas-neta do Ten Dálvaro (sobrevivente dos Naufrágios dos Navios Baependy e Arará)  e Senhora Ivony Tramontin-esposa do Cap Tramontim (sobrevivente do naufrágio do navio Itagiba)

Na Praça da FEB (no 21 GAC), temos o Monumento em Homenagem aos Militares desaparecidos e náufragos dos navios Baependy e Itagiba. É composto de uma base de concreto com uma placa descritiva. Em sua parte superior existem duas placas de mármore negro, desalinhadas, representando as duas metades dos cascos dos navios Baependy e Itagiba, que foram torpedeados, respectivamente em 15 e em 17 de agosto de 1942. Uma placa de bronze afixada no mármore contém as dados mais marcantes de cada navio. Em sua parte inferior, uma grande pedra de mármore branco representa as águas do Oceano Atlântico, onde repousam os corpos dos militares desaparecidos.  

 

Terminada a homenagem e a continência ao monumento guarnecido por Cadetes do Curso de Artilharia da AMAN, os convidados voltaram a seus lugares.

PRIMEIRO TIRO DA ARTILHARIA DA FEB (continua)

 

 

 

 

 


 

Joomlashack