Integrantes da bateria gaggio montano, Bom dia!

A história de nossa bateria começou a ser escrita em 09 de agosto de 1943, quando foi criada a Bateria de Comando da Artilharia Divisionária da 1ª Divisão de Infantaria Expedicionária, unidade integrante da Força Expedicionária Brasileira. Em 18 de setembro de 1944, sob o comando do então Cap SARAIVA, 106 de nossos integrantes desembarcaram em solo italiano para lutar naquela que até hoje é a maior e mais sangrenta guerra da história da humanidade, a Segunda Guerra Mundial. Entre as diversas missões cumpridas com heroísmo e bravura pelos nossos pracinhas, destacou-se a instalação e a operação do Posto de Comando da Artilharia Divisionária na comuna de Gaggio Montano para apoiar as ações da conquista de Montese. Pela importância desta ação para o desfecho positivo naquele combate, nossa bateria recebeu em 2015, a designação histórica de Bateria Gaggio Montano e aqueles heróis são homenageados pelo nosso brado e pelos soldados da Guarda Bandeira à frente, trajando o uniforme da FEB para escoltar nosso Pavilhão Nacional e nosso estandarte.

Em 2006, nossa bateria foi transferida da Guarnição da Vila Militar, no Rio de Janeiro, para a histórica Fortaleza de Santa Cruz da Barra, em Niterói. Guarnecê-la significa ter a responsabilidade de zelar pela conservação, segurança e manutenção do sítio militar de ocupação contínua mais antigo das Américas. Desde 1567, com a Bateria de Nossa Senhora da Guia, sempre há um sentinela alerta para defender a estratégica entrada da baía de Guanabara das ameaças marítimas tão comuns entre os séculos XVI e XIX. A manutenção deste legado está representada pelo grupamento mais à direita de todos nós, que está trajando o uniforme azul típico dos Regimentos de Artilharia do século XVIII.

Essa tradição do passado nos impulsiona e nos inspira para o cumprimento das missões do presente, aqui representadas pelos demais grupamentos. O mais à esquerda, através do uniforme de combate padrão do Exército Brasileiro, nos lembra da nossa missão principal de estarmos sempre prontos para a defesa externa em caso de ameaça à nossa soberania. E o grupamento do centro, através do equipamento para controle de distúrbios, representa nossa capacidade de atuação pronta e imediata quando solicitado por um dos poderes para garantir a lei e a ordem interna do nosso Brasil.

Essas são as missões da nossa bateria: cultuar o passado, preservar a história, transpor os obstáculos do presente e estar pronto para os desafios do futuro.

Comecei a entender essas missões em 11 de dezembro de 2015, quando assumi o comando cheio de dúvidas e apreensões. Hoje, quase dois anos depois, entrego o comando com o sentimento de dever cumprido e tendo a gratidão como sentimento mais forte.

A experiência de comandar não se resume a simples ação de emitir ordens. Está baseada em conhecer os subordinados, suas origens, seus problemas e anseios, e conduzi-los ao cumprimento da missão. Sendo assim, deixo o comando com a certeza que mais aprendi do que ensinei e, por isso, nada mais justo do que agradecer a todos que me ajudaram nesta tão dignificante missão.

Agradeço ao Exército Brasileiro por me confiar essa difícil, mas nobre missão. Sinto-me privilegiado por esta oportunidade que sonhava desde a formação.

Agradeço aos meus comandantes, Gen Diehl e Gen Katibe, pelo apoio e pela atenção dispensadas às demandas da Bateria; pela confiança depositada no meu trabalho, pelas orientações que facilitaram as tomadas de decisão e pelos exemplos de liderança e entusiasmo profissional.

Agradeço aos Chefes de Estado Maior do período, TC Batouli, Cel Simão e Cel Chiesa, que sempre souberam respeitar a Bateria como uma OM e sempre tiveram a paciência para ouvir e ajudar na solução dos diversos problemas e pelos valiosos conselhos seguros que muito contribuíram para os sucessos alcançados.

Aos comandantes das OM de Niterói e da AD/1, pela constante amizade e pelo apoio mútuo, além do entendimento das dificuldades que a Bateria por vezes tinha em prestar o apoio solicitado.

Aos oficiais do EM AD/1 pela amizade e companheirismo, pelo apoio incondicional e pelo sadio ambiente de trabalho nestes dois anos.

Agradeço ao meu subcomandante e amigo, major Christiano, que foi meu braço direito nesses dois anos. Realmente um companheiro que pude contar a qualquer momento e em qualquer necessidade, sempre pronto a ajudar e dar a melhor solução ao problema.

Aos meus irmãos João Paulo e André Lucas, pela união, amizade e parceria que mesmo à distância parece que estamos sempre juntos.

Agradeço à minha esposa Myra, que mesmo à distância se fez presente, me consolando e me impulsionando diariamente através de suas palavras de incentivo, carinho e ternura.

Agradeço aos meus avós e a meu pai Lucio (que este ano passou a me acompanhar mais de perto de outro plano) e a minha mãe Cleide, que sempre foram uma referência para mim, sempre mostrando o caminho a seguir. Seus ensinamentos e seus exemplos me deram a bagagem necessária para tomar decisões e julgar muitas situações que não se aprendem nos bancos escolares.

Aos amigos, que são tantos, que ao tentar nomear, com certeza estarei sendo injusto... que nos ajudaram direta e indiretamente nas diversas missões da Bateria, desde a manutenção da Fortaleza até complexas operações, passando pela ajuda à implantação do Programa Forças no Esporte e pela formação e adestramento dos nossos militares.

Agradeço a Deus, que se manifesta através de cada um de nós, que nos abençoou e nos guiou durante toda a vida e, principalmente durante o período do comando, nos guardando e nos livrando de todo o mal. Com certeza, nos protegeu de todos os riscos que são inerentes à nossa profissão.

Caro amigo Serra, você está recebendo o comando de oficiais e sargentos altamente motivados e vibradores com a profissão militar, que estão aguardando suas diretrizes e com certeza te assessorarão da maneira mais leal e fiel possível, estarão ao seu lado no cumprimento de qualquer missão, em qualquer hora e em qualquer lugar, como fizeram comigo nesses dois anos. Por isso, para eles, do oficial mais antigo ao soldado mais moderno, deixo um obrigado muito especial, porque sem eles, que estão perfilados à nossa frente agora, não teríamos cumprido todas as missões com excelência nesse período.

Caro amigo Serra, você está recebendo o comando de uma Bateria que carrega consigo o legado e as tradições de duas partes importantes de nossa história. Que entende muito bem sua missão de apoiar em material e pessoal o Cmdo AD, mas sempre que foi solicitada, esteve pronta e em condições de operar como peça de manobra em operações complexas e de grande importância.

Você está assumindo, Serra, a responsabilidade da formação e do adestramento de jovens Cb/Sd, motivados em servir ao país, mas que precisam de sua experiência e de sua liderança para instrui-los nos caminhos corretos.

Por fim, desejo-lhe muita saúde e que seja tão feliz quanto eu fui nesse período.

Obrigado a todos pela presença.

Sentinela Alerta!

Joomlashack