O segundo palestrante da abertura do CAOR que terá um total de meia-dúzia sábados para os 150 inscritos, foi o General de Exército Paulo Cesar de Castro.

Professor emérito da Escola de Comando e Estado Maior do Exército, suas palestra e publicações são muito procuradas.

Antigo Chefe do DEP (Departamento de Ensino e Pesquisa), modernizou o Órgão transformando-o em DECEX – Departamento de Educação e Cultura do Exército, tamanha a sua importância estratégica.

 

 

E podemos dizer ainda que é oriundo da Artilharia onde comandou, entre outras Unidades, o querido 21 GAC hoje em Niterói, guardião das belas praias dos Fortes Barão do Rio Branco e Imbuhy, aquartelamento onde tive o privilégio de servir como Tenente.

 

 

Também é possuidor da Medalha Esquadrão Tenente Vaz pelos mais que relevantes serviços prestados aos CPOR/NPOR de todo o país.

 

 

O tema da palestra foi Liderança Militar. Interessantíssima a abordagem que mostrou que o desejável é sobrepor-se o comando ou chefia à liderança, o que são coisas bem diferentes...

 

 

E começou mostrando o que um Líder Militar NÃO deve ser ou fazer.  Muito interessante esta abordagem e os exemplos mostrados que, invariavelmente, somos levados no subconsciente e lembrar de exemplos conhecidos no presente ou no passado.

 

 

Mas começou falando das igualdades e diferenças entre a abordagem de três grandes livros:

  • TRANSFORMANDO SUOR EM OURO – Bernardinho – “Trabalho x Talento = Sucesso”
  • O MONGE E O EXECUTIVO – James C. Hunter – “Você gerencia COISAS e lidera PESSOAS”
  • COMO SE TORNAR UM LÍDER SERVIDOR – James C. Hunter – “Liderança servidora: estilo de vida construído com SERVIÇOS e SACRIFÍCIOS”

 

 

Falou dos desafios do presente e do futuro, como se preparar para algo que ainda não aconteceu e nem sabemos como virá?

Mostrou o Sistema de Preparação de Líderes Militares, e a necessidade de seu aperfeiçoamento permanente.

Na plateia, sentados na mesma fileira que eu, mas do outro lado do corredor, uma plateia mais do que ilustre com os Generais Villas Bôas, Montezano e Heleno acompanhando atentamente. Vi nosso Comandante, General Villas Bôas, tomar diversas notas em seu caderninho...

Ao final, o General Castro mostrou três exemplos de grandes Líderes, começando com o grande General Santos Cruz (que conhecemos no Haiti quando ele era o “Force Commander”) que na capa de várias revistas mostra sua maneira de comandar no Congo, para onde foi a convite da ONU.

Terminou falando do livro de um Tenente (agora Capitão) do Haiti que descreveu seu trabalho e o texto selecionado, foi justamente o elogio de seu Sargento Adjunto.

Ao final, foi cumprimentado pelo Tenente Monteiro, organizador do CAOR.

Houve um “coffee break” após o qual aconteceu a Palestra da Professora Doutora Monique Sochaczewski Goldfeld, mas tive de me ausentar, pois, no meu Clube de Tiro em Caxias (ATDC) estava ocorrendo um Campeonato Brasileiro e eu tinha repasse de insumos a receber.

 

 

 

 


 

Joomlashack